APRENDENDO A ADORAR (Parte 1)


Introdução

O que é adorar? Vejamos algumas definições do Dr. Russel Shedd no livro Adoração Bíblica:

ADORAR – “O transbordar de um coração grato, impulsionado pelo sentimento do favor divino”.
“Exprime a riqueza que Deus representa para o adorador”.
“A resposta de celebração a tudo que Deus tem feito, esta fazendo e promete fazer”.

No Antigo Testamento o primeiro símbolo da presença de Deus é a Arca da Aliança. A Arca tinha 1,15cm de comprimento por 70cm de largura/altura. Continha 3 objetos: Jarra de Ouro que continha o Maná, o Cajado de Arão e as Tábuas da Lei.
A tampa era coberta de ouro. No centro estava o “Assento da Misericórdia”. Querubins de ouro olhavam de cada ponta na direção da Lei, simbolizando o momento que Deus veio encontrar-se com o seu povo. Não podia ser tocada ou olhada no seu interior, sob pena de morte. Simbolizava a presença do Senhor
O texto de I Samuel 4:1 – 7:2 mostra que a Arca havia sido abandonada em Siló no período dos Juízes. Por conta da guerra contra os Filisteus onde cerca de 4.000 israelitas foram mortos (4:2), a Arca foi trazida de volta como um amuleto que poderia dar a vitória ao povo (4:3).
Ao contrário do que se esperava, Israel sofreu outra derrota e desta vez 30.000 israelitas foram mortos (4:10). Os filisteus levam a Arca para Asdode e a colocaram no templo do seu deus Dagon (5:2). Depois do castigo de Deus, os filisteus devolveram a Arca depois de sete meses (6:1).
Ao chegar em Bete-semes 70 homens foram mortos por olhar o seu interior.Assustados com o poder da Arca, os israelitas deixaram a Arca na Casa de Abinadabe em Quiriate-Jearim por 20 anos.
É neste contexto que vemos depois de todo esse tempo Davi tomando a cidade de Jerusalém e subindo ao trono. Isto está registrado em II Samuel 6. Para Davi a Arca seria importante entre outras coisas porque ajudaria a solidificar o reino do ponto de vista político e religioso.
Os versos 1-5 narram uma grande celebração para comemorar o retorno da Arca a Jerusalém com 30.000 israelitas. A Arca é colocada num carro de boi e começa a ser levada para Jerusalém. É uma grande festa que derrepente é interrompida. Os bois tropeçam, Uzá tenta segurar a Arca e é morto por causa da sua irreverência (v. 6-7).
Mas a pergunta que fica é: Como irreverência se ele tentou ajudar e evitar que Arca caísse?
A resposta está em conhecermos quem era Uzá. Segundo registra Números 4:1-20 ele era Levita e Coatita. Isto implicava que dentre os Levitas ele pertencia à família que tinha a seu encargo os objetos mais sagrados, inclusive a Arca. A este grupo de pessoas Deus tinha indicado a forma correta de carregar a Arca e isto está registrado em Êxodo 25:10-16 / 37:1-5.
Tendo entendido isto pode-se dizer que a atitude com relação à Arca representava a reverência a um Deus Santo. Tocar na Arca significa tratar as coisas sagradas com leviandade.
Hans Kung ao comentar este texto diz: “Não fico surpreso porque Uzá morreu, e sim que o restante de nós ainda esteja vivo”.
Esta narrativa de II Samuel 6 nos traz algumas lições que são bastante atuais com relação à adoração que quero compartilhar com você.

A ADORAÇÃO EXIGE PREPARO (UZÁ)_

Os versos 8 – 12 mostram que o problema não estava na Arca, mas nos homens. O texto paralelo de I Cr 15:13-15 deixa isto mais claro ainda. Deus não havia mandado colocar a Arca num carro de boi, de qualquer jeito. Ele havia disto claramente como isto deveria ser feito.
Davi e o povo aprenderam que é necessário preparo para estar na presença de Deus. As coisas não podem ser feitas de qualquer maneira. O verso 11 fala que depois de aprenderem esta lição eles se prepararam durante 3 meses.
Ao iniciarem a experiência de adoração coletiva, não havia mais pressa. O ritmo havia mudado (v.13).
Muitas vezes fazemos as coisas para Deus de qualquer maneira, ou da forma como achamos que deve ser ou mesmo de acordo com a nossa conveniência, quando Deus deixou claro na sua palavra o que espera de nós. Louvado seja Deus por sua graça e misericórdia.

A ADORAÇÃO NOS TOMA POR INTEIRO (DAVI)

Depois do que aconteceu com Uzá encontramos um Davi humilhado e agradecido. Humilhado pela sua negligência. Agradecido pela misericórdia de Deus.
Por isso ele é capaz de adorar de uma forma tão vibrante e contagiante. O verso 14 traz expressões que deixam claro isto: “Com todas suas forças”; “Diante do Senhor”; Ele trajava uma estola sacerdotal de linho, um tecido que o deixava muito a vontade.
Quando estou preparado para adorar, a presença de Deus me deixa a vontade (Estola de Linho) Não havia Coroa, não havia Manto real. Depois de tanta ansiedade e angustia, ele podia adorar, olhar para Deus.
E isso contagiou todo o povo. Mas isto veremos no próximo artigo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s