A Igreja Greco-Ortodoxa (Oriental) – Parte II


A Igreja Ortodoxa hoje
A Igreja Ortodoxa hoje é uma comunhão de Igrejas autogovernadas, cada uma independente administrativamente da outra, mas unidas pela fé e espiritualidade comuns. Sua unidade fundamental está baseada na identidade de doutrinas, vida sacramental e culto, que distingue o cristianismo ortodoxo. Todos reconhecem a preeminência espiritual do Patriarca Ecumênico de Constantinopla, que é reconhecido como “primus inter pares,” primeiro entre iguais. Todas têm plena comunhão umas com as outras. A tradição viva da Igreja e os princípios de concórdia e harmonia são expressos por meio de parecer comum do episcopado universal assim que as necessidades aparecem. Em todos os outros assuntos, a vida interna de cada Igreja independente é administrada pelos bispos daquela Igreja particular. Conforme o antigo princípio de um só povo de Deus em cada lugar e o sacerdócio universal de todos os crentes, o laicato compartilha igualmente a responsabilidade pela preservação e propagação da Fé e da Igreja cristã.
Além dos quatro antigos Patriarcados de Constantinopla, Alexandria, Antioquia e Jerusalém, com suas várias subdivisões geográficas e eclesiásticas, também há muitas Igrejas Cristãs Ortodoxas independentes ou autocéfalas. Estas incluem as Igrejas da Rússia, Romênia, Sérvia, Bulgária, Grécia; Geórgia, Chipre, Checoslováquia, Polônia, Finlândia, Albânia e Sinai. Igrejas Ortodoxas autônomas menores e missões podem ser encontradas em todos os continentes ao redor do mundo.
A vida Cristã
A vida de um cristão como indivíduo é compreendida no contexto da comunidade de crentes. Cada pessoa é chamada a viver a vida religiosa e a avançar em crescimento espiritual e moral na abundância da própria Vida Divina pela graça.
A Salvação é vista como um processo iniciado no Batismo e continuando até a morte. Os Mandamentos e a Vontade de Deus anunciada são o critério para a conduta ética e elevação espiritual. O objetivo da piedade cristã é a união com Deus, e nossa cooperação com a Divina Graça é necessária para esta união. O empenho e o esforço para viver em Deus envolve uma escalada constante, longe das tentações e ambiguidades de uma condição humana pecadora e corrompida, em direção à glória eterna do Reino de Deus. Esta possibilidade é dada a todos em Jesus Cristo e Sua Igreja. É um esforço místico e ascético diário de obediência e fé em cooperação com a divina graça.
Tradição: a chave para nossa
auto-compreensão
A Ortodoxia afirma que as verdades eternas da revelação salvífica de Deus em Jesus Cristo são preservadas na Tradição viva da Igreja sob a direção e inspiração do Espírito Santo. As Sagradas Escrituras são o coração da Tradição e o fundamento da fé. Enquanto a Bíblia é o testemunho escrito da revelação de Deus, a Tradição Sagrada é a experiência completa da Igreja fiel sob a permanente condução e direção do Espírito Santo. Essencialmente, os Cristãos Ortodoxos consideram que suas crenças são muito semelhantes às de outras tradições cristãs, mas que a continuidade e integridade da fé Apostólica incólume transmitida aos Santos tem sido preservada inalterada na Igreja Ortodoxa.
O Credo Niceno:
a Fé da Ortodoxia
A Igreja Ortodoxa é profundamente bíblica e patrística. Sua profissão de fé fundamental é o Credo Niceno-Constantinopolitano, que foi universalmente promulgado durante o Segundo Concílio Ecumênico (381 AD). É uma síntese, sumário essencial das verdades salvíficas do Cristianismo, proclamando em forma doxológica o mistério do amor e ação de Deus pelo gênero humano. O Credo Niceno contém os critérios da fé cristã e é considerado um guia para o entendimento da Bíblia. Este Credo é uma declaração autorizada e oficial de fé e o critério infalível da verdadeira Ortodoxia. Proclama um só Deus em três Pessoas – Pai, Filho e Espírito Santo; a Igreja una, Santa, Católica e Apostólica; um só Batismo para a remissão dos pecados; a Ressurreição dos mortos; e a vida eterna. Nós conhecemos Deus em Trindade através de Suas energias e Seu proceder para conosco na história sagrada, primeiro através do povo judeu e finalmente em Seu Filho Jesus Cristo e Seu Corpo Místico, a Igreja. A Igreja Cristã foi fundada sobre a fé dos Santos Apóstolos e é conduzida e santificada pelo Espírito Santo por todo o sempre. É o “Corpo de Cristo,” a comunidade do fiel povo de Deus. É o local histórico do Reino de Deus instaurado que encontrará seu cumprimento definitivo em Deus no final dos tempos.
A Revelação de Deus no culto divino:
A Beleza da Ortodoxia
A Revelação de Deus tornou-se plenamente conhecida em Jesus Cristo e está confirmada pelo Espírito Santo em nossa regra de fé. Em Jesus Cristo nós temos “a revelação do mistério que foi ocultado durante muitas gerações, mas está agora revelado e, por meio dos escritos proféticos, tornou-se conhecido a todas as nações” (Romanos 16:25-26). São Santos aqueles que estiveram associados a Cristo durante Sua vida, ou mistica e sacramentalmente unidos com Ele depois. Primeiramente entre os Santos está a Virgem Maria, também conhecida pelo título doutrinal “Theotokos” – Mãe de Deus. O evento total de Cristo, que é a Encarnação, Ministério terreno, Morte, Ressurreição e Ascenção em Glória, é um acontecimento histórico que une a eternidade e a criação. Esta compreensão de realismo bíblico é percebida no bem elaborado e altamente simbólico culto da Igreja Ortodoxa. A Páscoa é a “Festa das Festas,” repetida anualmente e semanalmente no culto dominical. A Igreja celebra e toma parte no evento da Ressurreição do Senhor em cada Divina Liturgia. Todo momento particular da vida e ministério de Cristo é visto à Luz da Ressurreição. Cada parte do culto da Igreja está intimamente relacionado com a Proclamação e participação neste acontecimento salvífico. Cada aspecto de liturgia e prece é compreendida como um esforço com vistas à bela expressão desta realidade. Todos os sentidos são empregados num culto ortodoxo. Todos os meios apropriados são utilizados para revelar em termos humanos o mistério do amor de Deus por nós.
O Sacramento:
A Vida Mística da Ortodoxia
Um Cristão Ortodoxo, independentemente de nacionalidade, pode ir a qualquer Igreja Ortodoxa e receber os sacramentos: Batismo, Crisma, Sagrada Comunhão, Confissão, Unção, Matrimônio e Ordens Sacras. Os quatro primeiros são obrigatórios, os três últimos, facultativos. O costume usual é batizar crianças, com base na compreensão de uma família Cristã unida e na importância de um responsável ou Padrinho. A educação cristã propriamente tem lugar no lar e no magistério da Igreja.
• Batismo: O Batismo na Água de adultos e crianças é celebrado pela tríplice imersão em nome da Santíssima Trindade. É uma iniciação na Igreja, perdão dos pecados e início da vida Cristã. O Sacramento do Crisma (Confirmação), de conformidade com o costume antigo, é ministrado imediatamente após o batismo como um sinal dos divinos dons do Espírito Santo para o novo Cristão. A Sagrada Comunhão também é dada no batismo, expressando a plenitude de participação na vida sacramental da Igreja.
• Sagrada Eucaristia/Comunhão: A Sagrada Eucaristia, conhecida como a Divina Liturgia, é o culto principal e é celebrada todos os Domingos e Dias Santos durante o ano litúrgico. A Ortodoxia conserva uma forte concepção sacramental. Os Sacramentos são sinais visíveis de uma invisível Graça Divina. Os elementos de pão e vinho na Sagrada Eucaristia são aceitos como sendo o verdadeiro Corpo e Sangue de Jesus Cristo recebidos para a remissão dos pecados e a vida eterna.
• Unção Sagrada: Unção Sagrada, o sacramento dos enfermos, é uma aplicação de santos óleos e orações para aqueles que sentem necessidade de cura de corpo e alma. Todavia, não é exclusivamente uma “extrema unção”
• Confissão: Confissão ou o Sacramento de Penitência, é considerado necessário para o desenvolvimento e crescimento espiritual de um fiel. Geralmente é conduzido privadamente, na presença e sob a direção de um padre e confessor espiritual.
• Matrimônio: O Casamento Cristão é um Sacramento de união de um homem e uma mulher para complemento mútuo e propagação da espécie. Deve ser celebrado por um sacerdote ortodoxo como representante da comunidade de fé.
• Ordens Sacras: Ordens Sacras ou o Sacramento do Sacerdócio é compreendido como um ministério especial de serviço na Igreja e pela Igreja. As três ordens maiores do clero são diácono, presbítero e bispo. Os bispos são consagrados por pelo menos três outros bispos. Os sacerdotes ortodoxos muitas vezes são homens casados, contudo eles devem casar antes da ordenação. Os bispos são escolhidos dentre o clero monástico que têm o voto do celibato.
Muitas outras cerimônias e orações são expressões do único ministério sacramental da Igreja. Tudo isto pode ser visto como atividades espiritual e gratuitamente proveitosas para o bem-estar dos fiéis. Há exéquias pelos mortos, baseados no entendimento de que a igreja inteira, visível e invisível, é comunhão única de fiéis unidos em amor e oração.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s